Ouvidoria Geral do Município completa 18 anos ampliando o atendimento ao cidadão

15 de Julho de 2019 ← ver outras

A Controladoria Geral do Município de São Paulo (CGM/SP) comemora, em julho, os 18 anos de criação da Ouvidoria Geral do Município (OGM/SP) com a ampliação da rede de atendimentos ao cidadão. Em 2019, a OGM passou a atender a população nas unidades do Descomplica em Campo Limpo e São Miguel Paulista e no espaço Aqui tem a Ouvidoria, em uma parceria inédita com a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC). Só nos primeiros 10 dias de funcionamento do novo posto, ao lado da Estação Anhangabaú do Metrô, foram registrados 210 atendimentos, a maior parte relacionada a serviços da Secretaria Municipal da Fazenda, como o Cadastro de Contribuinte Mobiliário e ao Programa Tô Legal (MEI).

 

A descentralização do atendimento está garantida no Código de Defesa do Usuário do Serviço Público, instituído pelo Decreto 58.426/2018 que regulamentou a Lei Federal 13.460/2017 e que reconhece no cidadão sua condição de participante da gestão municipal. Para a Ouvidora Geral do Município, Maria Lumena Balaben Sampaio, a descentralização tem dois aspectos importantes, com a ação da OGM nos bairros e também as ouvidorias setoriais, criando uma interface entre as secretarias. “A ampliação da rede de atendimentos é uma ferramenta de cidadania. A descentralização dá voz ao cidadão, garante que ele conheça o seu direito e use essa ferramenta. Isso é inclusão social”.

 

A parceria com a Secretaria Municipal de Inovação e Tecnologia (SMIT), que possibilitou a implantação dos postos de Ouvidoria nas unidades do Descomplica em Campo Limpo e São Miguel Paulista, deve ser ampliada. A OGM estará presente, nos próximos meses, nas unidades do Butantã e de Santana-Tucuruvi. E até o final do ano deverão ser instalados postos no Jabaquara, Capela do Socorro, São Mateus e Penha. Também existe a possibilidade de uma parceria com o PROCON Paulistano.

 

História

Criada pelo Decreto 40.248, em janeiro de 2001, a OGM teve suas atribuições ampliadas pela Lei Municipal 13.167, de 05 de julho de 2001, que garantiu a autonomia administrativa, orçamentária e funcional da pasta. Em 2013, com a criação da CGM/SP, o órgão passou a fazer parte da estrutura operacional da Secretaria que também é integrada pela Corregedoria Geral do Município (CORR), Coordenadoria de Auditoria Interna (AUDI), Coordenadoria de Promoção da Integridade (COPI), Coordenadoria de Administração e Finanças (CAF) e Coordenadoria de Defesa do Usuário do Serviço Público (CODUSP).

 

Segundo Maria Lumena, nos 18 anos de atuação do órgão a evolução é visível, principalmente com a ampliação de conquistas para o cidadão. “Nós somos guardiões do sistema, verificando o cumprimento de prazo e o conteúdo de resposta. As conquistas foram se acumulando, principalmente com a própria institucionalização da Ouvidoria, que se dá no contexto de uma sociedade onde o controle e a participação social são importantes. A partir disso, nós pudemos identificar o anseio da sociedade e o compromisso com a transparência”.

 

Atendimento

A OGM recebe denúncias, reclamações, sugestões, elogios e pedidos de informação sobre a administração pública via e-SIC. Além disso, o cidadão pode denunciar irregularidades ou ações ilegais por parte de servidores municipais e denunciar práticas de assédio moral e sexual.

 

Para isso, a OGM mantem diversos canais de comunicação com o cidadão, como o atendimento pela Central SP 156 (opção: número 5), por e-mail (ogm@prefeitura.sp.gov.br), pessoalmente na Galeria Prestes Maia (Praça do Patriarca, 2, Sé) e no Espaço Aqui Tem Ouvidoria (Rua Dr. Falcão, 69, Centro – ao lado da Estação Anhangabaú do Metrô) e por carta (Rua Líbero Badaró, 293, 19º andar, Centro, São Paulo – CEP 01009-907). Para denúncias de assédio moral e sexual, o telefone de contato direto é o 3334-7125 e para denunciar irregularidades de conduta funcional, o cidadão também pode utilizar o e-mail denunciaogm@prefeitura.sp.gov.br.

 

Para Maria Lumena, quando um cidadão escolhe a Ouvidoria como o canal para fazer sua reclamação ou denúncia ele fortalece a credibilidade do órgão e o trabalho desenvolvido. “A OGM é acionada quando o serviço não é prestado, quando faltam informações, quando o atendimento é inadequado. É o que chamamos de 2ª instância porque pressupõe que o munícipe já solicitou o serviço nos canais primários. Ouvindo o cidadão nós conseguimos aprender com os dados, melhorar os serviços, contribuindo com a promoção da integridade e com o combate à corrupção”.

 

Fonte:

Liliane Raquel Rossi

Assessora de Imprensa

Controladoria Geral do Município

(11) 3113-8236/8237

Viaduto do Chá, 15 – 10º andar – Cep. 01002-020



Crescem atendimentos e resolutividade das respostas da Ouvidoria-Geral do Estado

Relatório aponta que o mês de maio trouxe aumento do número de atendimentos aos usuários do Sistema de Ouvidoria de Goiás. Nos cinco primeiros meses do ano...

saiba mais

Conheça os direitos dos usuários dos serviços públicos

O usuário de serviços públicos tem diversos direitos garantidos em legislação, de forma específica na Lei Federal nº 13.460/2017, que completa quatro anos...

saiba mais

nos acompanhe nas redes sociais

Receba nossas novidades por e-mail.

CONACI - Conselho Nacional de Controle Interno - Todos os direitos reservados- 2018