V Semana de Controle termina com os temas LGPD e Governança

13 de Maio de 2021 ← ver outras

O último dia da V Semana de Controle aconteceu hoje, 13, idealizado pela Controladoria-Geral do Distrito Federal (CGDF), coorganizado pelo Conselho Nacional de Controle Interno (Conaci). O evento contou com experiência europeia para comparar com o contexto brasileiro sobre a Lei Geral de Proteção de Dados. Além disso, o último painel teve como tema a “Governança, Transparência e Controle”. 

 

O evento conta com o apoio da Escola de Governo (Egov), do Escritório de Assuntos Internacionais do DF (EAI) e do Instituto de Defesa da Cidadania e da Transparência (IDCT). A Semana de Controle é voltada para a capacitação e para o aperfeiçoamento técnico de servidores das áreas de Auditoria Interna, Transparência e Controle Social, Ouvidoria, Correição, Governança, Compliance e Gestão Interna.

 

Experiência europeia e a LGPD

 

A jornalista Thais Venturatto conduziu o painel sobre “A Regulamentação da Proteção dos dados pessoais no Brasil e na Europa”. O debate foi dividido entre a realidade portuguesa com a participação da vice-presidente da Associação Nacional de DPOs, Filomena Vieira, e a membro da Comissão Nacional de Proteção de Dados de Portugal, Maria Cândida de Oliveira. Além disso, o contexto brasileiro foi ressaltado pela diretora da Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), Miriam Wimmer.

 

Maria Cândida falou sobre os benefícios e desafios da implementação da LGPD nos órgãos públicos e privados. Por exemplo, as pessoas têm mais direitos, mais proteção para os titulares e para as organizações além de ter portabilidades dos dados. Entretanto, há algumas dificuldades, como, a sociedade vai ter mais consciência da proteção de dados, então, é necessário elaborar diretrizes e planos de ação para a implantação da Lei. Assim, apesar dos contratempos, ainda há um grande caminho a percorrer para que haja melhorias. 

 

A vice-presidente falou sobre a importância da LGPD na mudança de paradigma ao elaborar uma responsabilização dos controles de dados. Além disso, ressaltou que esta Lei tem dois componentes que tentam se englobar que é o aspecto jurídico e tecnológico. Outro ponto importante da fala da professora é que para o sucesso da proteção de dados é necessário que haja a formação dos servidores, pois apesar da tecnologia, é preciso investir nas pessoas para funcionar bem. 

 

“Por um lado, enquanto poder público, é verdade que se eu não enxergo o cidadão, se eu não tenho informações, se eu não tenho dados, eu não consigo fazer boas políticas públicas. Por outro lado, a LGPD ou o RGPD vem nos trazer alguns princípios, como princípio da minimização, não devemos coletar mais dados do que o necessário, devemos tratar dados somente para a finalidade que justificou aquela coleta, e estes são princípios que são novos para nós no poder público”, explicou a diretora da ANPD, Miriam, que falou sobre o contexto brasileiro diante da Lei. 

 

Para finalizar o painel, a jornalista promoveu uma brincadeira em que cada uma das quatro participantes falasse 3 palavras para formar uma frase que resultou nos dizeres a seguir. “A LGPD vai promover melhorias, fortalecer direitos fundamentais, aumentar a consciência dos rituais, sem prejudicar a inovação”, e assim fecharam a discussão.

 

Governança, Controle e Transparência

 

O último painel do evento teve a subcontroladora de Governança e Compliance, Joyce Oliveira, como mediadora. Os participantes foram o conselheiro do Tribunal de Contas do DF, Inácio Magalhães, falando sobre “A visão do Controle Externo” e o controlador-geral do Estado de Minas Gerais, Rodrigo Fontenelle, que explicou sobre “Gestão de Riscos como instrumento de Governança”.

 

Joyce iniciou a discussão explicando sobre o tema e falando que a Governança está aliada a estratégia e o controle e que não muda nada se estiver só no papel, é preciso ser colocado na prática. Além disso, ressaltou algumas práticas de governança para política pública funcionar, como, por exemplo, a institucionalização, participação, capacidade organizacional e recursos, monitoramento e avaliação, gestão de riscos e Controle Interno e accountability. 

 

O conselheiro lembrou que não é possível e nem fácil avançar na governança sem a mudança de cultura. “Precisamos planejar mais, monitorar mais, agir corretivamente com mais frequência, definir foco, superar o controle incipiente da governança, planejamento, mapa de processo, ações direcionadas para os objetivos, fluxo da rotina entre processos, vale preventivo e mapa risco focado justamente na gravidade do que se objetiva”, finalizou Inácio.

 

Fontenelle falou sobre casos mais práticos das gestões de riscos da CGE-MG e sobre a evolução da transparência trabalhada ao longo da pandemia da Covid-19. Além disso, apresentou a força tarefa que possui diversos membros para “auxiliar a Alta Administração na mitigação dos riscos das aquisições de bens e serviços para o combate à pandemia da Covid-19 e integrar as atividades de auditoria interna dos órgãos e entidades envolvidos diretamente com as contratações emergenciais”, como citado na apresentação.

 

Para encerrar o evento, o chefe de gabinete da CGDF, Daniel Alves, agradeceu, em nome do controlador, Paulo Martins, a todos os participantes, a equipe do órgão, ao Conaci e os apoiadores e aos palestrantes e mediadores. Além de ressaltar os diversos temas que passaram pela V Semana de Controle. 

 

Não conseguiu assistir ao vivo? Confira AQUI 
 



Crescem atendimentos e resolutividade das respostas da Ouvidoria-Geral do Estado

Relatório aponta que o mês de maio trouxe aumento do número de atendimentos aos usuários do Sistema de Ouvidoria de Goiás. Nos cinco primeiros meses do ano...

saiba mais

Conheça os direitos dos usuários dos serviços públicos

O usuário de serviços públicos tem diversos direitos garantidos em legislação, de forma específica na Lei Federal nº 13.460/2017, que completa quatro anos...

saiba mais

nos acompanhe nas redes sociais

Receba nossas novidades por e-mail.

CONACI - Conselho Nacional de Controle Interno - Todos os direitos reservados- 2018